Em 07/10/2015 às 14h13


Maria Vitória, Ester e Rafaelle fazem sucesso e honram tradição vascaína no esporte

Por: Thiago Moreira

image
Solange Chagas, Maria Vitória, Rafaelle e Ester Figueira- Fotos: Thiago Moreira/Vasco.com.br

Os últimos finais de semana (26 e 27 de setembro e 03 e 04 de outubro) foram de muitas conquistas para o atletismo do Vasco da Gama. Atletas do Gigante da Colina brilharam nas duas competições que disputaram (33º Intercolegial e Campeonato Estadual Mirim) e aumentaram o número de medalhas e troféus do Cruzmaltino no esporte. Campeã na categoria Jovem Federado, no Intercolegial, e primeiro lugar no Estadual Mirim (jovens até 15 ano), a equipe feminina de São Januário vem se destacando este ano.

As vascaínas Maria Vitória e Ester mantiveram o ritmo de conquistas. As duas foram destaques nos dois eventos, subindo no topo do pódio em ambos. Já Rafaelle conheceu o sabor do primeiro ouro na carreira, no torneio estadual. Apesar dos títulos recentes, as três esportistas de 15 anos miram o Campeonato Brasileiro Interclubes Mirim, que será disputado em São Paulo, no próximo final de semana (09, 10 e 11 de outubro). Ester é especialista em provas de resistência e alcançou o objetivo de, não só ficar na primeira colocação, como bater sua marca pessoal, fato que ocorreu no Carioca.

- Foi muito importante para mim. No Intercolegial eu não consegui fazer o tempo que eu queria e, apesar de sair vitoriosa, fiquei com o foco de diminuir meu tempo na próxima corrida, que seria o Campeonato Estadual. E, depois de muito esforço, acabei concluindo a prova com meu melhor resultado, o que me fez muito feliz e aumentou minha confiança para o Brasileiro. Com minha melhora nos 1.000 metros rasos, acho que posso subir no pódio na prova de 1.000 metros com obstáculos. Até porque, para mim, esta é minha melhor prova. Eu não esperava ter tanto sucesso assim no 1.000 metros rasos, pois eu nem iria fazer esta prova. Iria para o 300 metros com barreiras, o 1.000 metros com obstáculos e o revezamento. Mas, na hora, foi cancelada a corrida com obstáculos e eu fui para o raso. Fiquei contente - ressaltou Ester.

image
Maria Vitória treina sob olhares da coordenadora Solange Chagas

Primeiro lugar no ranking nacional em sua categoria, Maria Vitoria é uma promessa que vai se tornando realidade. No esporte desde os 11 anos de idade, a jovem já desperta os olhares de grandes treinadores ao redor do mundo. Seu grande potencial a levou a disputar o salto triplo no Campeonato Brasileiro de Menores, categoria acima da idade dela, com adolescentes até 17 anos de idade. Mesmo entre competidores mais velhos, ficou com a terceira colocação, garantindo o Bolsa Atleta (bolsa de estudos do Governo Federal entregue aos três primeiros colocados no Brasileiro) por um ano. No Brasileiro Mirim do próximo final de semana, a mesma bolsa será distribuída com o mesmo critério. Maria Vitória comentou sobre o começo de carreira e sua trajetória no atletismo.

- Entrei no atletismo por indicação do pai da minha prima. Ele pratica o esporte também. Ele me fez uma proposta, perguntou se eu gostava de correr e me contou sobre a equipe que o Vasco tinha. Eu não conhecia sobre isso. Em 2011, quando tinha 11 anos de idade ele me trouxe para fazer um teste com a coordenadora Solange e deu tudo certo. O atletismo mudou muito a minha vida. Antes eu não tinha muitas oportunidades de conhecer outros lugares e hoje já tive estas experiências. Meu sonho é chegar em uma Olimpíada. Vou treinar bastante sempre para melhorar meus resultados, vencer os torneios e alcançar meus objetivos - afirmou Maria Vitoria.

O caso de Rafaelle é curioso e um pouco distinto em relação ao das colegas de equipe. A adolescente chegou ao Vasco para participar de um esporte bem diferente do atletismo. O xadrez é a outra paixão da campeã estadual do lançamento de martelo e ainda faz parte da vida da atleta. Enquanto praticava o esporte de tabuleiro, Rafaelle se interessou pelo atletismo e procurou a coordenadora técnica Solange Chagas. Aprovada no time, não abandonou o outro esporte, muito pelos valorosos conselhos de Solange, que sempre explicou a importância em praticar diversas modalidades esportivas. Um pouco desanimada em não conseguir conquistar posições importantes nas outras provas, a vida da atleta mudou após o título estadual. Sorridente e confiante, a medalhista falou sobre a importância da coordenadora técnica em sua carreira.

- Desde quando eu entrei, a Solange sempre me acolheu. Me ajudou quando tinha problemas no esporte e também pessoais. Ela é como se fosse uma mãe para todo mundo que faz parte do grupo. Sempre "pegando no pé" de cada um, nunca esquecendo de ninguém. Agora foi a primeira vez que fui ouro. Gostei demais da sensação e ela ficou extremamente feliz. Eu só tenho que agradecer a ela. As vezes ficamos chateadas por alguma coisa que é dita, mas é sempre para melhorarmos, tem muita importância. Além disso, me incentiva a fazer outras coisas, como o xadrez. Ela é demais. Sem a Solange eu não chegaria a lugar nenhum - disse Rafaelle.

A delegação vascaína viaja para São Paulo na próxima quinta-feira (08/10) para a disputa do Campeonato Brasileiro Interclubes Mirim, que acontecerá no Estádio Ícaro de Castro Mela, no Ibirapuera. O torneio ocorre entre os dias 09 e 11 de outubro e contará com a participação de 19 atletas cruzmaltinos em diferentes modalidades.

Comente essa notícia

Videos

Rolé no Rio - Leandro Castan

desenvolvido por: