Em 22/11/2016 às 16h04


Do sonho ao título mundial: Maior remadora do país, Fabiana Beltrame encerra carreira no próximo domingo

Em entrevista exclusiva ao Site Oficial, atleta fala sobre o começo no remo e afirma que a família foi a sua grande motivação durante a carreira

Por: Matheus Alves

Se não fossem os passeios com a família na Avenida Beira Mar, em Florianópolis, os brasileiros não conheceriam Fabiana Beltrame, grande símbolo do remo nacional. A paixão pelo esporte começou cedo, aos 15 anos, quando observou ao lado de uma amiga o treinamento de alguns remadores na água e iniciou o seu trabalho no Clube Náutico Francisco Martinelli, em 1997. A paixão cresceu e o esporte se tornou a grande inspiração da sua vida, alcançando conquistas inimagináveis, quebrando barreiras e servindo de inspiração para os jovens atletas. Perto de encerrar a carreira, a vascaína concede entrevista exclusiva ao Site Oficial e fala sobre um dos momentos mais importantes de sua trajetória.

- Tudo começou em 1997. Me interessei pelo esporte ao ver um pessoal treinando no Beira Mar. No inicio, não entrei com o intuito de ser atleta, mas logo comecei a competir e fui tomando gosto. Na minha primeira regata, fiquei com a prata, num 2x com a minha amiga Denise e a partir daí, todos começaram a falar que levávamos jeito. Foi a partir do meu primeiro Campeonato Brasileiro (1999) em Florianópolis, quando conquistei duas medalhas de ouro, que percebi que queria aquilo pra mim, ter objetivos maiores – afirma.

image

Fabiana Beltrame com a sua parceira Sofia Ibarguren - Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Primeira medalhista de ouro do Brasil em um Mundial, Fabiana Beltrame fez história em Bled, na Eslôvenia (2011), ao estabelecer a marca de 7m44s58, quase dois barcos a frente da suíça Pamela Weisshhaupt (7m48s24) e da alemã Mueller (7m50s44). Eleita por onze vezes a melhor remadora do país, a vascaína chegou a estar em 2011 entre os três maiores atletas em exercício no esporte nacional. Para Beltrame, a família foi a grande motivadora de sua carreira, principalmente a filha Alice.

- Meu marido e minha filha foram fundamentais nas minhas conquistas. Sem o apoio do meu marido não conseguiria, pois ele sempre me deu a maior força em casa, com a Alice, me deixando tranquila para treinar e viajar. E foi a partir do nascimento dela que consegui meus resultados internacionais. Ela sempre foi minha principal motivação – garante.

Campeã mundial de forma inédita em 2011, 32 vezes campeã brasileira, 9 vezes campeã sul-americana, 35 pódios em Regatas do Estadual, medalhista de ouro, prata e bronze em Copas do Mundo e a primeira remadora brasileira a competir em Jogos Olímpicos. Essas são as credenciais de Fabiana Beltrame, que encerrará a sua carreira no próximo domingo, dia 27, na Lagoa Rodrigo de Freitas. Na última regata do Estadual 2016, a atleta quer fazer bonito para fechar com chave de ouro a sua vitoriosa trajetória pelo remo nacional.

- Tenho muito orgulho de tudo o que conquistei. Estou bem ansiosa para a minha última regata. E é claro que espero vencer e dar a minha última contribuição ao clube. E já está começando a dar aquela nostalgia, porque foram momentos muito felizes que passei aqui – destaca Beltrame, que disputará o skiff leve.

image

Antônio Lopes, Fabiana Beltrame e sua filha Alice - Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Pioneiro em toda a sua história, o Vasco abriu as portas no Rio de Janeiro para Fabiana Beltrame em 2005, quando conquistou inúmeros títulos pelo Gigante da Colina. Ao seu clube de coração, a remadora é só elogios.

- Eu tenho um carinho muito especial pelo Vasco, pois foi o clube que me abriu as portas aqui no Rio e isso que me fez voltar em 2014. Tenho imensa gratidão ao presidente Eurico Miranda, pois ele ama o remo e sempre investe no nosso esporte. Também tenho um carinho especial pelo Lopes (vice-presidente), que fez a maior força para eu voltar e sempre me apoiou e também pela Gracilia (diretora), que agora está reorganizando toda a nossa garagem. Sempre vou continuar torcendo pelo Vasco – ressalta.

Após quase duas décadas no Rio de Janeiro, Fabiana Beltrame voltará para sua terra natal em dezembro. As merecidas férias estão chegando, mas a atleta garante que não deixará de trabalhar pelo remo: "Vou tirar alguns meses para descansar e curtir a família, pois foram 19 anos quase que ininterruptos. Depois disso, vou permanecer no esporte que amo e que me deu tantas alegras, mas talvez de outras formas, fora d’água". Só nos resta dizer muito obrigado.

image

Multicampeã, Fabiana Beltrame se despedirá do remo como atleta - Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Comente essa notícia

Videos

Rolé no Rio - Leandro Castan

desenvolvido por: