Em 16/12/2015 às 15h59


Treinadores exaltam o primeiro ano do handebol no Vasco

Por: Thiago Moreira

image
Foto: Thiago Moreira/Vasco.com.br

O primeiro ano da parceria entre Vasco da Gama e a Força Aérea Brasileira no handebol foi um sucesso. Conquista de títulos, atletas convocados para a Seleção Brasileira e excelentes exibições marcaram este período inicial do esporte em São Januário. Tanto o time masculino quanto o feminino levantaram taças importantes para o Gigante da Colina.

Estado com poucos times fortes na história, o Rio de Janeiro sofreu uma mudança neste cenário com a entrada do Cruzmaltino. Agora com um clube de peso aliado a equipes montadas com precisão, a cidade carioca ganhou uma potência no cenário nacional. Desde o primeiro semestre de 2015, o Vasco/FAB já demonstrava que viria para construir uma nova história no handebol do Rio.

image
Foto: Thiago Moreira/Vasco.com.br

Já na primeira competição disputada pelas meninas, o ouro foi conquistado. No Torneio Início, organizado pela Federação Carioca, as vascaínas foram superiores às adversárias e venceram com tranquilidade. A atuação coletiva da equipe ajudou a armadora direita Patricia e a central Samara a se destacarem, despertando o olhar atento do treinador dinamarquês da seleção brasileira, Morten Soubak. E não parou por ai. No segundo semestre, mais duas convocações, com as jovens pivôs Nadyne e Jéssica Louise. Em conversa com o Site Oficial, o treinador Ruy Sanches falou sobre a temporada cruzmaltina.

- Fizemos um ano muito bom. É excelente representar o Vasco. Em todos os estados que estivemos presentes, sempre fomos bem recebidos. O Vasco tem torcida em todos os cantos do Brasil.  Deu para ver a força que a camisa do Cruzmaltino tem. A equipe correspondeu plenamente, mesmo sabendo que nós tivemos desfalques pontuais. Algumas contusões aconteceram e mesmo assim mostramos que o grupo é muito forte. A preparação foi boa durante o ano - destacou Ruy.

Além do título do Torneio Início, outros feitos marcaram o ano das atletas de São Januário. Mesmo tendo o melhor ataque da Copa Brasil e a defesa menos vazada, o Almirante não conseguiu chegar à final, após perder na semi por uma diferença de um gol. Porém, o bronze foi alcançado, assim como na Liga Nacional. Principal campeonato do Brasil, a Liga não recebia no pódio final da competição um clube carioca há mais de 15 anos.  As meninas comandadas pelo técnico Ruy acabaram com esta "seca" do estado. Na última competição do ano, por problemas de logística, a final do Campeonato Carioca será realizada em 2016 e a probabilidade de vitória cruzmaltina é grande.

- Perdemos a semifinal da Copa do Brasil por um gol, em um jogo que poderíamos ter ganho. Vencemos o terceiro lugar e deixamos a competição com a defesa menos vazada e o ataque mais positivo. Perdemos apenas uma partida. Fomos terceiro na Liga Nacional também. Há mais de 15 anos que não chegava um time do Rio de Janeiro no pódio. E nós conseguimos. Competição dificílima. O Estadual não acabou, mas não tem adversário para a gente aqui no Rio. Nossa equipe é muito forte. E a probabilidade de conseguirmos resultados melhores ainda no ano que vem é gigante. Esta parceria com o Vasco foi muito boa, rendeu frutos e tornou o handebol ainda mais conhecido no Rio e no resto do país - comentou o comandante.

image
Foto: Thiago Moreira/Vasco.com.br

No elenco masculino do Vasco/FAB, as conquistas também foram rotina. Campeão do Torneio Início, assim como as meninas, os homens não só venceram um título estadual, como chegaram ao topo do Brasil. Em uma trajetória impecável, os vascaínos levantaram o troféu de forma invicta da Copa Brasil, sem dar brechas aos seus rivais. O ouro nesta competição marcou uma nova etapa do handebol carioca dentro do país. Na Liga Nacional, eliminação precoce nas quartas de final, mas que serve de aprendizado para 2016. Na Seleção Brasileira, comandada pelo espanhol Jordi Ribera, o ponta esquerda Cleryston e o goleiro Pedro Hermones foram convocados. O treinador Carlos Eugênio falou sobre este primeiro ano de parceria entre Vasco e FAB.

- É muito importante para a gente chegar em competições de handebol com um clube de camisa pesada como o Vasco. Uma camisa gigante e forte. A gente consegue agregar valor com isso. Trazemos a torcida para dentro da modalidade, como foi a final da Copa Brasil, onde tivemos muitos vascaínos nas arquibancadas. Fomos campeões da Copa Brasil com um nível bem forte. A Liga Nacional não foi boa para nós, acabamos em quinto. Mas sabemos que poderíamos ter ido mais além. Temos certeza que este primeiro ano com o Vasco foi muito bom para o grupo e continuaremos evoluindo - ressaltou Eugênio.

Comente essa notícia

Videos

Bastidores | Vasco 2 x 0 São Paulo | Brasileirão 2018

desenvolvido por: