C. R. Vasco da Gama

Escudo - Vasco da Gama

Notícias

Brasileirão 2011

Vasco não dá chance ao Botafogo e segue na briga pelo penta

Com gols de Fellipe Bastos e Dedé, Vascão vence o clássico por 2 a 0 no Engenhão

13/11/2011 - 21h11

Fellipe Bastos comemorando seu gol

Mesmo com o desgaste físico, o Cruz-Maltino fez mais uma grande partida na temporada neste domingo (13) e venceu o clássico diante do Botafogo por 2 a 0, no Engenhão. Os gols do jogo foram marcados por Fellipe Bastos e pelo Mito Dedé.

Com o resultado, o Vasco segue dividindo a liderança com o Corinthians, que venceu o Atlético-PR no Pacaembu. Ambos estão com 61 pontos. Fluminense e Figueirense, que são os times mais próximos na tabela, têm 56 pontos.
 


O jogo

Vascão superior

O Gigante da Colina teve o retorno do seu Maestro Felipe e do volante Rômulo, que não jogaram contra o Universitario (PER), porque não estavam inscritos para as quartas de final da Copa Sul-Americana. Jumar se recuperou de lesão e foi escalado na lateral-esquerda. O único desfalque do time foi Eduardo Costa, ainda contundido.

Cristõvão Borges, contudo, optou por colocar o Juninho Pernambucano e o atacante Elton no banco. Os volantes Allan e Fellipe Bastos foram os seus substitutos e Diego Souza foi deslocado para o ataque. O Botafogo não teve desfalques para o clássico.

A partida começou aberta com as duas equipes buscando abrir o placar. E a primeira oportunidade foi do Vascão. Felipe recebeu a bola na entrada da área, limpou a marcação com o seu drible característico e soltou uma bomba no canto, mas o goleiro Jefferson conseguiu salvar.

O Botafogo respondeu com Elkeson que, após cruzamento de Lucas, ficou de frente com Fernando Praas e o goleiro vascaíno fez uma grande defesa, fazendo jus ao seu apelido de Muralha. Depois do susto, o Gigante da Colina retomou o comando do meio de campo.

Aos 15 minutos, Allan fez um lançamento espetacular para Eder Luis disparar em velocidade. O camisa 7 cruzmaltino cruzou, a bola passou por dois companheiros e sobrou limpa para Fellipe Bastos acertar uma pancada e abrir o placar. No chute, Diego Souza teve que se esquivar da bola com um pulo.

Com a vantagem, o Cruz-Maltino ganhou ainda mais confiança e seguiu o ataque, enquanto o Botafogo buscava se recuperar do golpe. O Vasco, em um contra-ataque fulminante, quase ampliou. Diego Souza disparou no meio de campo e toucou para Fagner entrando na área. O lateral-direito devolveu para o camisa dez, livre, mas ele pegou muito em baixo e a finalização saiu por cima do gol.

Muito superior em campo, o Vascão continuou ditando o jogo no meio de campo na batuta do  Maestro Felipe. O camisa seis, dono de uma habilidade rara, colocou a bola entre as pernas do atacante uruguaio Abreu, que ficou louco no lance.

Poucos minutos depois, o Trem-Bala da Colina quase disparou com um pênalti. Diego Souza recebeu de Eder Luis, após erro de Cortês, o zagueiro Antônio Carlos se atrapalha com o goleiro, a bola sobra para o camisa dez da Colina, que é derrubado. Porém, Jefferson defendeu a cobrança de Diego Souza. 

Esse foi o último lance de perigo na primeira etapa, pois a partida ficou truncada no meio de campo com muitas faltas, algumas mais ríspidas, atrapalhando a criação das jogadas nos dez minutos finais.
 

Dedé mostra porque é o Mito da Colina e o Vascão amplia

O segundo tempo começou com o Cruz-Maltino pressionando para ampliar a vantagem. Eder Luis fez uma tabela rápida com Diego Saouza e chutou cruzado, forte, mas o foleiro botafoguense conseguiu mais uma grande defesa.

O Vascão seguia no ataque, mesmo com algumas investidas botafoguenses, fezendo mais uma bela jogada pelo setor direito.  Allan recebendo lançamento de Rômulo sozinho, mas o bandeirinha, erroneamente, marcou impedimento.

Ainda em cima do Botafogo, o Gigante da Colina continuou na pressão. Felipe cobrou falta pela ala esquerda, a zaga desviu e Dedé de canela e Jefferson salva o lance em cima da linha. Jogadores vascaínos reclamaram que a bola havia entrado no lance.

Aos 14 minutos, Dedé mostrou porque é chamado de Mito pela massa vascaína. O melhor zagueiro do Brasil deu um drible espetacular no meio, tocou para Rômulo e foi para dentro da área receber o cruzamento do volante e fazer de cabeça o seu 11ª gol na temporada.

O Cruz-Maltino continuou controlando o jogo no meio de campo e o Botafogo, sentindo o resultado, pouco esboçava uma reação. Entretanto, aos 31 minutos o árbitro Antônio Schneider expulsou o volante Rômulo, complicando o Vascão em campo.

Com a superioridade numérica, o adversário foi para o tudo ou nada, pressionando os jogadores vascaínos, que se defendiam com bravura, no seu campo defensivo. Mesmo assim, a equipe comandada por Caio Junior não assustou a Muralha vascaína e a partida terminou com a vitória do Trem-Bala da Colina, firme pelo Pentacampeonato brasileiro.
 

Próximos jogos

O Vascão vai enfrentar o Palmeiras no Pacaembu, nesta quarta-feira (16/11), às 21h 50. No sábado, às 19h, recebe o Avaí em São Januário pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 

FICHA TÉCNICA
VASCO 2 X 0 BOTAFOGO

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 13 de novembro, 2011
Hora: 19h (de Brasília)
Árbitro: Antônio Schneider (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Rodrigo Corrêa (RJ)
Público: 33.778
Renda: R$ 912.280,00
Cartões amarelos: Dedé, Fagner, Jumar (VAS); Jefferson, Bruno Tiago, Herrera (BOT)
Cartões vermelhos: Rômulo (VAS)
Gols: Fellipe Bastos, 15'/1ºT (1-0); Dedé, 14'/2ºT (2-0)

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Renato Silva e Jumar; Rômulo, Allan, Fellipe Bastos (Nilton, 26'/2ºT) e Felipe (Juninho Pernambucano, 35'/2ºT); Diego Souza e Eder Luis (Diego Rosa, 46'/2ºT.
Técnico: Cristovão Borges (interino).

BOTAFOGO: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos (Bruno Tiago, intervalo), Renato, Elkeson e Maicosuel; Herrera (Caio, 19'/2ºT) e Loco Abreu.
Técnico: Caio Junior.

Outras Notícias